Informações
Arritmias
Anticoagulação Oral
Atividades Físicas para
Pacientes com Arritmia
Estudo Eletrofisiológico
e Ablação
Fibrilação Atrial
Marcapasso/Desfibriladores/ Ressincronizadores
Orientações Pré e
Pós-procedimentos
Relato dos Pacientes
Síncope
Estudo Eletrofisiológico e Ablação

Os procedimentos para investigação e tratamento das arritmias cardíacas apresentaram avanços importantes nas últimas décadas, principalmente no que se refere à determinação dos mecanismos envolvidos em suas causas, o que torna possível a cura definitiva nesses casos. Desta forma, o procedimento tornou-se instrumento rotineiro na investigação cardiológica e de vital importância na abordagem dos pacientes portadores ou suspeitos de apresentarem arritmias cardíacas. Entretanto, trata-se de um método especializado, que deve ser realizado por profissionais capacitados, em locais com equipamentos e infra-estrutura de suporte hospitalar adequado, incluindo a internação hospitalar do paciente submetido a este procedimento.

O estudo eletrofisiológico é realizado em um laboratório de eletrofisiologia, habitualmente uma sala de hemodinâmica composta de sistema de geração de imagem em raios-X para posicionamento dos cateteres pelo sistema venoso, arterial e cardíaco; monitores de pressão arterial e oxigenação; equipamento de cardioversão (desfibrilação) elétrica e computadores ligados a um polígrafo (tipo de eletrocardiograma especialmente projetado para captar e gravar os potenciais elétricos do coração e auxiliar na localização das arritmais). Não se assuste ao entrar na sala do procedimento e visualizar todos estes equipamentos, pois eles são necessários para a realização de um bom procedimento e são para a sua segurança.

De modo geral recomenda-se que o paciente chegue ao hospital 1 hora antes do procedimento, em jejum de 8 ou 12 horas tanto para alimentos líquidos (inclusive água) como para sólidos. O procedimento pode ser realizado com sedação (conforme a necessidade do paciente e indicação do procedimento) e sempre com anestesia no local da colocação dos introdutores que permitirão a passagem dos cateteres pelas veias e/ou artéria. As punções para a colocação dos introdutores habitualmente é realizada na região inguinal direita (na altura entre a virilha e a coxa) e na região do pescoço ou abaixo da clavícula, do lado direito. A partir disto os cateteres que são especialmente desenhados e fabricados para estes fins são levados até o coração com o auxílio do raio X. Estes cateteres captarão os potenciais elétricos do coração, poderão também estimular o coração para precipitar o aparecimento da arritmia e auxiliarão no mapeamento do foco da arritmia. Se houver indicação, ao final destes passos, pode-se realizar a ablação que consiste no tratamento da arritmia dianosticada através de um cateter. Ao final do procedimento, os cateteres e os introdutores são retirados, com compressão manual dos locais das punções para o controle do sangramento local.

Logo após um período de repouso na Hemodinâmica o paciente será encaminhado para um apartamento onde permanecerá internado até receber a alta hospitalar que sera realizada por algum médico da Equipe. É recomendado que durante o procedimento pelo menos um familiar permaneça na recepção para receber informações ao final do mesmo.

O estudo eletrofisiológico é considerado um exame seguro, mas, como todo procedimento médico, eventualmente podem ocorrer algumas complicações. Apesar de se utilizar uma quantidade reduzida de raios X não se recomenda a realização durante a gravidez.

Hematoma: pode aparecer no local onde foram feitas as punções. Normalmente são facilmente resolvidos. Para diminuir a chance de hematomas, paciente deverá ficar em repouso algumas horas após o procedimento.

Trombose (coágulo de sangue): na veia ou artéria onde foram feitas as punções, diante de situações especiais, poderá ocorrer a formação de coágulos no interior desses vasos. Rotineiramente, durante e após os procedimentos, são tomadas medidas para evitar este problema, particulamente nos pacientes com idade avançada, tabagistas, diabéticos, em uso de anticoncepcionais hormonais, dentre outros, que são fatores predisponentes e que necessitam de cuidados adicionais.

Em caso de ocorrer alguma destas complicacões entre em contato com algum médico de nossa Equipe.

Ablação por Cateter

A ablação por cateter é uma alternativa ao tratamento com medicação que permite em alguns tipos de arritmias a cura definitiva. Em geral é um procedimento de baixo risco que através da "cauterização" do foco da arritmia é capaz de eliminar a parte anormal do sistema elétrico do coração responsável pelos distúrbios do ritmo. Usamos neste procedimento um cateter especial em cuja ponta existe um anel metálico que será aquecido através da energia de radiofrequência (o cateter é ligado em um aparelho chamado de gerador de radiofrequência). Com o aquecimento da ponta do cateter aquele local será cauterizado e consequentemente produz-se a eliminação da arritmia. Em alguns casos podem ser necessárias várias aplicações para eliminar completamente os focos causadores do problema.

Este procedimento é util no tratamento de vários tipos de arritmia, desde as mais simples até as mais complexas como a fibrilação atrial. Dependendo do caso, o médico pode recomendar a interrupção do uso de alguns medicamentos que possam atrapalhar o exame. A ablação por cateter é realizada em ambiente hospitalar, no mesmo local onde se realizam os estudos eletrofisiológicos.

Pelo fato de apresentar altos índices de sucesso e baixos índices de complicações a ablação pode ser o tratamento de escolha antes mesmo do uso de medicamentos. Entretanto, assim como outros procedimentos médicos, algumas complicações podem ocorrer, devendo ser discutidas com o paciente no momento em que se opta por este tipo de tratamento. Em casos mais raros, dependendo do tipo da arritmia e se ela está localizada muito próxima ao sistema de condução normal, tal sistema pode ser danificado. Embora raros, os efeitos colaterais devem ser levados em conta quando se opta pelo tratamento com ablação e o paciente deve discutir detalhadamente com seu médico especialista .

LEMBRE-SE: Sempre tire com seu médico especialista as dúvidas sobre o procedimento que você será submetido. Esta é a melhor forma de diminuir a ansiedade que é natural em todos.

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player